ingles instrumental pra quem e

Inglês instrumental: o que é e pra quem é indicado

Aprender inglês é uma das necessidades básicas de muitos brasileiros que buscam o seu lugar ao sol. Para o ensino e o mercado de trabalho, a língua inglesa vai além de um diferencial, sendo uma necessidade básica para quem quer crescer. Para essas pessoas, o inglês instrumental é a melhor opção. 

O inglês instrumental é uma metodologia de aprendizado que busca o aprendizado rápido de leitura e interpretação de texto no idioma inglês. Em resumo, é um método de ensino que busca resultados rápidos e mais focados em objetivos específicos. 

Também conhecido como English for Specific Purposes ou ESP, o inglês instrumental nada mais é que os estudos de Inglês para Propósitos Específicos. Em resumo, essa metodologia trabalha o vocabulário e pontos fundamentais de uma área específica de trabalho ou estudo.

Mas é bom lembrar, novamente, que essa metodologia é direcionada para quem precisa de um aprendizado rápido para aplicar nos estudos (como mestrado ou doutorado) ou no mercado de trabalho. Para pessoas com outros objetivos, a metodologia clássica é a mais indicada. 

Origem do inglês instrumental 

Desde sempre as pessoas aprendem outra língua de uma forma direcionada e mais objetiva, porém de maneira informal e não como uma técnica. Consequentemente, não se sabe quando o inglês instrumental surgiu, pois ele nasceu em diferentes lugares do mundo conforme as variadas necessidades. 

Mas quando falamos do inglês instrumental como técnica, no Brasil, ele passou a ser ensinado por volta de 1970, nas faculdades brasileiras para o público acadêmico.

Inglês instrumental X Inglês convencional 

O inglês convencional foca nas quatro habilidades linguísticas, sendo elas:

  • reading (leitura);
  • speaking (fala);
  • listening (escuta);
  • writing (escrita).

Em contraste, o inglês instrumental foca mais no reading. 

Como a segunda metodologia visa, principalmente, dar acesso e entendimento a materiais técnicos de determinada área, a técnica reforça a parte da leitura na língua estrangeira.

Talvez a maior diferença entre os dois métodos é que o aprendizado do inglês convencional é feito a longo prazo, enquanto o inglês instrumental é a curto prazo, com um método específico em vista. 

Dicas para estudar inglês instrumental sozinho 

Para aprender através do inglês instrumental, a melhor forma é através de um curso ou um professor particular. Apesar disso, se você não tem condições no momento, e precisa aprender sozinho, existem algumas dicas que você pode seguir para conseguir aprender plenamente em pouquíssimo tempo. 

1 – Vocabulário

Uma pesquisa feita pela Universidade de Oxford diz que você consegue entender 50% de qualquer texto em inglês conhecendo somente as 100 palavras mais usadas no idioma.

Essa mesma pesquisa também aponta que se você aprender mais de 400 palavras, entre elas substantivos, verbos e adjetivos frequentes, você consegue decifrar 75% de qualquer escrito. 

Dito isso, foque em conhecer o vocabulário inglês mais comum primeiro e depois os termos mais técnicos. Se você tiver o básico de vocabulário, você vai muito longe. 

2 – Leia materiais na língua inglesa

Experimente ler diariamente livros, artigos e notícias em inglês para treinar o seu cérebro e ganhar mais vocabulário. Não necessariamente você precisa começar logo na leitura técnica. Prefira leituras mais leves e simples para se familiarizar com o idioma. 

Para facilitar, marque as palavras desconhecidas, pesquise o significado e anote enquanto estiver lendo. Veja agumas sugestões de livros em inglês para iniciantes:

  • Charlotte’s Web —  E.B. White
  • Peter Pan —  J.M Barrie
  • The Outsiders — S.E Hinton
  • The Missing Coins — John Scott
  • The Truth Machine — Norman Whitney

3 – Coloque a legenda da série em inglês

Uma forma mais descontraída de treinar o reading é colocando as legendas do que você for assistir em inglês e acompanhar assim. Você pode fazer isso com tudo:

  • Séries; 
  • Filmes;
  • Documentários;
  • Noticiários;
  • Vídeos do YouTube.

Esse método é interessante porque você aprende novos vocabulários ingleses associando o texto à cena, além de memorizar mais rápido. 

4 – Revisão é a chave

A Curva do Esquecimento de Ebbinghaus aponta que lembramos de somente 50% do conteúdo que vimos após 24 horas e sobram apenas 3% a 5% das informações na nossa memória depois de 30 dias. Portanto, criar uma rotina de revisão é tão importante quanto estudar palavras novas. 

Para isso, você também pode implementar técnicas como:

  • Praticar a revisão espaçada e em períodos diferentes;
  • Colocar as palavras em post-its e colar em locais da casa onde você passa muito;
  • Criar associações mentais das palavras.