As habilidades que você precisa para viajar pelo mundo

Colocar uma mochila nas costas e viajar pelo mundo é o sonho de muitas pessoas. Todos nós temos aquela vontade de largar tudo e ir embora em algum momento, seja para viver novas experiências, seja para conhecer novas pessoas e lugares ou simplesmente para escapar da rotina. Mas nem sempre é simples colocar em prática os planos que fazemos ao longo da vida. Muitas vezes entre sentir vontade e ter coragem existe um longo percurso. 

As vezes nos deparamos com pessoas que querem muito “explorar” o mundo, mas justificam a falta de coragem com aquela máxima “acho lindo, mas não é pra mim”. Será mesmo que existe o “dom” de viajar? Será que conhecer o mundo com uma mochila nas costas é mesmo uma habilidade que nem todo mundo é capaz de desenvolver?

Bom, se você é uma das pessoas que pensam assim, está na hora de rever os seus conceitos. Qualquer pessoa tem o potencial para se tornar um mochileiro e vou te mostrar isso. Para te ajudar a reconhecer esse potencial em você, preparamos uma lista de habilidades que você precisa ter, se pretende viajar pelo mundo. E acredite, muitas delas se você ainda não tem, pode desenvolver facilmente.

Coragem para sair da zona de conforto

shutterstock_521121226

Sabemos que enfrentar os medos, esquecer as desculpas e sair de um lugar que esteja confortável não é nada fácil. Mas acredite, é justamente por estar confortável que você precisa seguir. O conforto além de aprisionar, nos impede de viver experiências incríveis. Claro que conforto é importante, mas se você está sentido falta de algo ou se está imerso em uma rotina que não te deixa completo e feliz, o conforto é uma prisão.

Educação e respeito devem ir na bagagem.

parte-da-viagem-de-liz-retratada-no-filme-e-no-livro-comer-rezar-amar-e-espiritual-e-ela-encontra-gurus-em-bali-indonesia-e-na-india-1286581249873_615x300

Sair pelo mundo requer abertura e respeito pelo novo. Você vai encontrar culturas e pessoas muito diferentes das que você conhece, então seja educado, gentil e principalmente, tenha respeito pelo que você não entende ou não concorda. São atitudes simples que vão evitar complicações e te ajudar a conquistar novos amigos no percurso.

E o mais importante, não espere que os moradores dos lugares por onde você passar entenda seu modo de vida, você é o visitante e por isso é seu o papel aprender com eles e não o contrário.

Ir além dos cartões postais

shutterstock_519178144

Cada lugar é único e muitos estão consagrados nos cartões postais. Mas cada cidade tem muitas outras coisas além dos pontos turísticos, é preciso ir além para viver experiências que sejam realmente gratificantes. Saia do óbvio e se permita viver a rotina do lugar, viva as pessoas, conheça o que não é “turístico” e coma o que as pessoas que vivem lá comem (não precisa começar pelo escorpião, mas tente achar algo que lhe agrade e experimente).

Não se apegue tanto a programação

8a9774_0b70afca80af428e81515d50c59934d0

Lembre-se que você não está apostando corrida com a vida. Você não precisa conhecer tudo do lugar no menor tempo possível. É preciso planejar claro, mas se permita sair dos planos e viver algo espontâneo, de acordo com os interesses que vão surgindo ao longo da viagem. Garanto que você será bem mais feliz sem se preocupar tanto com o relógio. Entenda que o destino final é parte da aventura e que o processo para chegar até ele é o que realmente importa. Viva o caminho e não se preocupe tanto com o destino.

Entenda que a burocracia é necessária

shutterstock_520913206

Viajar também tem a parte chata, ninguém gosta de providenciar vistos, vacinas, seguros e várias outras responsabilidades que vem com a decisão de viajar. Mas você precisa entender que essa burocracia é necessária e não sofrer tanto com isso. Se organize e você vai ver que não é tão complicado assim.

Veja também como organizar sua viagem internacional

Veja também os documentos e vistos para viajar pelos USA

Entenda e respeite seus próprios limites

shutterstock_519369016

Você não precisa gostar de tudo e principalmente não precisa fazer tudo. Nem todo mundo tem esse espírito aventureiro, cada pessoa tem seu próprio “peso e medida”, nem tudo que funciona para uns, irá funcionar para todos. Aceitar e entender seus limites é o primeiro passo para que a experiência não passe de uma aventura para um pesadelo.

A vida de viajante exige que você faça escolhas e abra mão de determinados confortos, então permita-se tentar, mas se não der certo, não se cobre tanto por isso. Nem todo mundo é feliz abrindo mão do conforto pela experiência. Aceite-se e seja feliz com as suas limitações!

A única certeza é que alguma coisa vai dar errado

ORG XMIT: XHG111 Passengers sleep near their luggage after Typhoon Vicente stranded flights out of the airport in Hong Kong on Tuesday morning, July 24, 2012. Planes grounded at the financial capital's international airport were buffeted by the high winds early Tuesday. Passengers were told the conditions were expected to last several hours. (AP Photo/ Ng Han Guan)

Você já ouviu falar que as melhores histórias são as que dão errado? Sabe quando algo não sai como o planejado e mesmo assim você tem uma boa lembrança do ocorrido? Uma vez uma amiga viajou para a Grécia e acabou fazendo uma confusão com os aeroportos, foi uma verdadeira novela para que ela conseguisse embarcar. Entre informações incorretas, brigas, bagagens extraviadas e voos cancelados ela finalmente conseguiu embarcar. Quando ela retornou, me contou o ocorrido com muitas gargalhadas e histórias hilárias que aconteceram entre uma coisa e outra que deram errado.

Veja que nem sempre se deu errado foi ruim. Ainda pode ser uma história bacana para contar e rir com os amigos. Pense nisso e relaxe.

Esqueça celular e internet por um tempo

shutterstock_520928164

Se você ficar conectado o tempo todo não vai perceber a beleza que está ao seu redor. Claro que você pode postar fotos e compartilhar suas experiências com seus amigos, mas não se deixe gastar tempo demais na internet e esquecer o que realmente importa.

Viu que essa vida “viajante” pode sim ser pra você?

Compartilhe esse post com seus amigos na esperança de espalharmos mais rapidamente essa mensagem.

Forte abraço e até o próximo artigo!
Ana Flávia, gerente de marketing do CCBEU.